sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Sob o sol de Curitiba


A revista de bordo da Gol traz a matéria sobre viajar sozinho.
Entre os pontos positivos, a vantagem de estar aberto a novos e inesperados roteiros.
Nada de limites definidos.
Fazer o que der na telha, mesmo que seja passar um dia de bobeira, tomando café e olhando o movimento na esquina, sem dever nada a ninguém.
Um tempo só seu.
Liberdade.

Embarco para Curitiba com horários apertados, reunião após reunião.
Não tenho tempo de passar um dia de bobeira, tomando café e vendo o movimento da esquina.
Não tenho condições de mudar o roteiro... O meu já está todo estabelecido por horários e mapas.
Também é impossível não dever nada a ninguém!
Mesmo assim, arranjo um minutinho e tomo um mate batido bem gelado.
Delícia.

Tem tanta coisa simples que enfeita o dia da gente.
Pegar o Mate Leão do copinho e bater no liquidificador com gelo, até formar uma espumona. (Por que não pensei nisso antes?)
Parceiros profissionais simpáticos.
Um taxista conversado, que sai da timidez e me pede para explicar porque diabos as pessoas precisam chegar no aeroporto uma hora antes do vôo.
Um quarto de hotel minúsculo, mas novinho, limpíssimo e com internet gratuita.
Um jantar sozinha em um restaurante bucólico de massas, com um garçom tão atencioso e bonzinho que chegou a me deixar sem-graça (olha esse prato de 24 reais, a sopa de 9... Servem bem e são uma delícia!).
Andar na rua sob um sol escaldante de 37 graus e mesmo assim apreciar a paisagem.
Uma praça com fonte.
Uma loja de design.
Uma confeitaria e delicatessen.
Um armazém charmoso com sorvetes importados.
Uma casa com um jardim na frente que dá vontade de morar.
Um castelo que hoje recepciona eventos.
Um novo shopping moderno.
Um velho shopping com decoração natalina.

O Brasil é muito, muito grande.
Tantas coisas estão aí para serem exploradas, descobertas, amadas.
Dessa vez fui correndo, atarefada, sob o sol de Curitiba.

Mas fui feliz.
E a cada mês sou um pouco mais.
E agrego em mim mais um novo pedaço desse país continental.

Um comentário:

  1. Prá variar... Adorei!!!
    Estou sem tempo para fazer o "mosaicos", pois esses dias não estou blogando, mas sim Brunando...:-))
    Mesmo assim, arrumei um tempinho (ela está dormindo agora e o papai e a mamãe foram curtir a noite)e dei uma passadinha aqui prá curtir um pouco o seu cantinho tão aconchegante.
    Ensinei a Bruna a contar até 10, e então ontem, Vívian (que ainda não sabia da história), quase morreu de rir (escondidinha).
    O caso foi o seguinte: Vívian (bem brava, porque Bruna estava desobedecendo), disse-lhe: - "Bruna, a mamãe vai contar até 3..."
    E começou: "Um..."
    Na mesma hora, Bruna começou a correr, morrendo de rir, e gritando: - "dois, três, quatro, cinco..."e por aí afora...
    É assim que está a serelepe da minha neta: Sapeca que nem ela só!...:-))
    Bem, chega de te "alugar".
    Um ótimo final de semana prá você.
    Beijos.
    Cid@

    ResponderExcluir