sábado, 7 de novembro de 2009

Sobre as nuvens de Floripa






Viajar sozinha é um barato em alguns aspectos. Exemplos?

-É uma chance de finalmente ler as revistas que seguem empilhadas e abandonadas no meu porta-revistas sem que eu tenha a chance de olhar para as pobres coitadas.

-É a oportunidade de fazer coisas meio "queima filme", tipo ficar tirando foto da janela do avião estilo turista deslumbrada, que afinal de contas eu sou mesmo e quer saber?... Não tô nem aí, quem achar estranho que ache! :) Falando nisso, confiram as fotos deste "post" que retratam minha chegada a Floripa.

-É a hora de tirar fotos de si própria e ver como elas saem (sim, isso é esquisito, mas não deixa de ser um passatempo divertido!).

-É o tempo que a gente tem para fazer as listas de coisas pendentes que lotam as nossas agendas, tais como "quem vou presentear no Natal" ou "consultas médicas que tenho de marcar até o final do ano" ou "providências que tenho que fazer para a casa nova" (essa tá grande) ou "próximos lugares para os quais viajarei".

-É o momento de dormir com a boca aberta no assento do avião (tenho a ligeira impressão de que fiz isso na minha volta de Florianópolis para BH). Isso é raro, para mim raríssimo, mas tenho me sentido tão cansada com essa correria de ultimamente que estou achando o máximo tirar uma soneca inesperada!

-É a chance de prestar atenção na conversa dos outros e rir sozinha. Às vezes me impressiona como temos a capacidade de travar conversas de horas a fio com pessoas totalmente desconhecidas, e o pior, tornar a conversa de tal maneira empolgada que parece fazer parte de um repertório de dois amigos de infância! Acho que isso é algo da nossa cultura mesmo, é único e muito, muito divertido!

-É a hora de conferir quem anda embarcando pelos aeroportos do Brasil na revista de bordo (Sim, eu gosto dessa parte e não, não sei explicar o motivo!!!).

Bom, mas o post é sobre Floripa!
E a primeira coisa que me veio à cabeça quando a conheci há alguns anos foi a vontade de morar ali.
Fui a Floripa em algumas ocasiões, e sempre a trabalho.
Não sei como é o dia-a-dia da cidade, não sei como é a dinâmica do trânsito, não sei como é nada, no fundo, e mesmo assim, tudo que senti foi "nossa, que vontade de morar aqui".
Isso se passou também em Londrina.
E em Sydney, na Australia.
Que engraçado isso, mas até hoje realmente foram as três cidades onde tive essa sensação.
Tenho que descobrir o que há de comum entre as três.
Às vezes foi o meu estado de espírito enquanto passeava por elas.
Quem sabe.
Acho que preciso ir de novo a Londrina.
E a Sydney,claro.
Quem sabe assim...

4 comentários:

  1. É isso aí menina!
    Nota 1000 esse post!...
    Natural, expontâneo e ... delicioso!
    Viajei junto com você :-))
    Eu também tenho essa sensação: "Puxa, como eu gostaria de morar aqui!" A última que tive, foi em Buenos Aires...Vai ver deve ser por causa dos "bons ares" que senti por lá...Rsrsrs
    Beijão "procê" e te cuida!
    Beijinho também prá Jujú.
    Fiquem com Deus.
    Cid@

    ResponderExcluir
  2. Bons ares ou foi os homens bonitos???? hehehehehe

    ResponderExcluir
  3. Oi Lois, acho que voce deve seguir seu instinto e vir morar aqui!!!!!! rsrsrsrs Ahhhh, viajar sozinha é uma oportunidade de auto conhecimento! Eu adoro! Companhia é sempre bom, claro, mas quando se está sozinha você é quem decide aonde ir, quando ir, como gastar seu dinheiro... Pode passar horas em frente a um quadro (ou de uma vitrine, se for o seu gosto) sem ninguém pra te apressar. Pode jantar um sorvete ou comer um bife com batata frita de cafe da manha, afinal, você é quem manda! Beeeeeeijos

    ResponderExcluir
  4. Oi querida !

    Vim aqui te convidar a participar do sorteio de um perfume da Lancôme lá no meu blog.

    Participe ! quem sabe ganha ?? :)

    bjoss

    LuRussa
    www.garotinharuiva.blogger.com.br

    ResponderExcluir