sábado, 15 de maio de 2010

Uma penetra no city-tour da CVC

El Caminito, no Bairro La Boca


La Bonbonera, o estádio do Boca


Casa Rosada, Plaza de Mayo


Embaixada do Brasil em Buenos Aires.


Obelisco, o símbolo da cidade.


Essa escultura é feita de metal de aeronaves americanas, o escultor é argentino e obviamente custou uma fábula... Ela sem células foto-elétricas que fazem com que a flor abra durante o dia e se feche à noite... Magnífica.


Penetra com estilo, vamos dizer assim. Primeiro porque não entrei no city-tour de graça, afinal de contas eu paguei. O que ocorre é que o city-tour do hotel não era o city-tour da CVC, era outro. Outro e mais caro... O do hotel era 60 Pesos, e o da CVC, 40. Bom, 40 para mim, porque para os outros já estava incluído no pacote. Claro que quando eu ouvi o guia chamar na recepção do hotel “City tour da CVC”, eu fui lá correndo ver se arrumava um lugarzinho. Pôxa, muito melhor do que o outro. Primeiro para conhecer o serviço da CVC, segundo porque o guia falava português, terceiro porque teria companhia de brasileiros para conversar um pouquinho nesse meu único dia como turista e quarto porque ia economizar 20 pesos (não necessariamente nessa mesma ordem).

Meu Deus, como Buenos Aires está cheia de brasileiros! Só se ouve Português nos pontos turísticos! O pior é que toda vez que eu queria arrasar no espanhol, bastante eu dizer um “Hola” e o pessoal já sacava que eu vim do Brasil. Que meleca, isso! Uma aula de pronúncia urgente!!! Quero voltar à infância para aprender uma língua sem sotaque!!!! :)

O City-tour contemplou o principal da cidade: Plaza de Mayo (com a Casa Rosada e a Catedral Metropolitana), o bairro de Retiro, Recoleta, Palermo, o estádio La Bonbonera (do Boca Juniors), a Republica de La Boca, local do Caminito, e por fim uma passadinha no Puerto Madero – lindo, lindo. Deu vontade de voltar e fazer uma visita descompromissada, só para sentir a cidade. Sem compromissos, só com a preocupação de não se preocupar com nada...

Por falar em preocupação, quase morri de estresse ao perceber o atraso para o término do city-tour. Eu com um traslado marcado para o aeroporto às 13 h, e nada do guia aparecer no ônibus para sairmos do La Boca... 12:15 ERA o horário marcado. 12: 35 foi quando o guia entrou no ônibus. Voa, motorista!!!!!

Ao final do city-tour, um rapaz muito simpático (argentino), que havia tirado fotos dos turistas antes, entregou a cada passageiro uma foto-montagem da pessoa dançando tango (PHOTOSHOP). A minha ficou realmente horrorosa e não comprei, mas a da senhora que estava do meu lado ficou ótima. Aí eu disse a ela para comprar, que ela tinha ficado linda e ela começou a rir.

-Eu nessa foto? Até parece!

-Mas é a senhora!

-EU??? TÁ LOUCA????

-É a senhora, olha o seu rosto aqui! O rapaz fez um trabalho no computador e encaixou o seu rosto no corpo sarado dessa moça de meia arrastão, e...

(Nunca vi uma pessoa tirar o dinheiro tão rápido da carteira para acertar o regalo!!!)

Dá-lhe Buenos Aires!!!! Volto para te ver! Besos e abrazos!!!!

PS – Em um momento de ímpeto “100% TURISTA” tirei uma foto com um dançarino de tango no Caminito!!!! Que vergonha, meu Deus!!! Sabe uma gringa na roda de samba? Foi assim que me senti! Mas viajar é isso, despir-se de preconceitos e virar criança de novo! Nem que seja para dançar tango de bota e óculos escuros! E viva a Argentina!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
(Essa foto resolvi não colocar... Fica a cargo da imaginação dos leitores!)

Somos chiques, não sabia?

Cartaz de aula de Português na sala de aula de uma classe primária.


Show de Tango em meio aos turistas na Rua Florida.


O croissant da Argentina é muito bom, eles chamam de Media Luna. Esse fininho é diferente, mas não é tão bom... O mais gordinho é melhor.


Menor que o croissant, só esse carro de polícia! :)


Hoje foi o dia da caminhada! Tudo para compensar as calorias de um alfajor! Na verdade, como as visitas não eram muito longe umas das outras, acabei optando por caminhar e sentir o clima da cidade, o que é muito gostoso, sempre.

Visitei uma escola católica e descobri que aprender Português é o máximo! Sim, a gente é chique demais, está o maior ‘boom’ aprender nossa língua por aqui, e eu tô me achando! Precisam ver que gracinha quando fui conversar com os alunos de 12 anos e eles responderam tudo na minha língua pátria, uns amores! São muito fluentes! Fiquei emocionada... O mais legal foi o tantão de meninos que já estiveram no Brasil! E mais legal ainda quando perguntei quais cidades eles conheciam e a maioria não tinha a mínima idéia hahahahaha... Porque não era cidade, era praia RS RS RS... Mas não lembram o nome da praia também... 9 chances entre 10 de que era Camboriú!

Nas minhas andanças pela cidade, passei também por um Centro de Cultura e Estudos Brasileiros, ou algo parecido com isso, que tem uma biblioteca com livros em Português, incluindo ‘Meu pé de laranja lima’ e me dei conta de que nunca o li. Que vontade de comprá-lo (é o cúmulo comprar um livro desse logo na Argentina), mas quando eu voltar para casa vou dar um jeito! Nesse lugar tem aula de Português e prepara os alunos para o certificado na língua. É tão engraçado, a gente sempre pensa nos certificados de língua estrangeira e nunca pára para pensar que a nossa também tem! (Se você já parou para pensar nisso antes, basta ignorar o que acabo de dizer e siga em frente!!!).

Hoje almocei peixe e jantei frango. Tirei mais fotos de mim mesma, um saco isso – mas estou virando “expert”. Descobri o melhor alfajor da cidade (não é o Havana, é o Cachafaz), estreei mais um restaurante diferente para trabalhar navegando na internet, organizei minha participação no city-tour de amanhã – já que tenho a manhã livre antes de viajar, nada melhor do que ter uma visão um pouco mais ampla da cidade, paguei o hotel, contratei meu traslado de aeroporto...

E trabalhei, claro, como trabalhei!!! Mas amanhã tem um pouquinho de descanso, graças a Deus... Canadian Girls...

Viajando na Viagem

Bar/Lojinha de Design.


Na porta do Tradicional Café Tortoni, que fez 150 anos em 2008.


Shopping Alto Palermo.


Hoje dormi enquanto escrevia no computador, à noite. Ainda é de noite, mas depois de um banho revigorante (detalhe: o banheiro do hotel alaga toda vez que eu tomo uma ducha) estou me sentindo um pouquinho mais acordada para escrever por aqui. Antes do banho, coloquei coisas totalmente sem sentido no computador, coisas como a frase "Canadian Girls" no meio de um relatório de visitas a agentes de Buenos Aires. Essa foi a parte em que eu realmente viajei! E ainda em inglês! De onde foi que eu tirei "Canadian Girls", alguém me explica????

O café da manhã foi gostosinho e me fez apreciar um pouquinho mais o hotel. Não posso também reclamar da cama, pois deu para descansar bastante e sem dor nas costas, graças a Deus...

O céu estava azul e o tempo gostoso, com um ventinho frio de vez em quando. Como andei por lugares até então desconhecidos, como o Shopping Palermo (muito lindo, com ainda mais lojas renomadas, como são de bom gosto...) e o bairro Belgrano (que eu adorei, me lembrou o bairro Jardins, de São Paulo, ou então o Moema, meio residencial, meio comercial, com lojas ultra hermosas e residências caríssimas), comecei a achar Buenos Aires mais bonita. Hoje reparei ainda mais na arquitetura e pude perceber como os prédios são realmente similares aos de Paris... A fachada, os tetos, as portas de entrada, as campainhas, os elevadores com portas pantográficas, enfim, senti-me em Paris de novo tendo as reuniões com agentes parceiros. Muito bom!

O almoço foi em um restaurante delicioso de comida saudável e natural chamado Natural Deli. Meu Deus, que delícia, que prato diferente com amendoim, arroz integral, pêra, frango, molho curry e mais algumas coisas que o deixaram como um risoto – o prato se chama Wok, na verdade. Delícia demais, para comer ajoelhado. E a limonada, com gelo, mel e gengibre! Gente, que maravilha! No cardápio vinha escrito Limonada ND (“la de siempre”). Hahahahaha... Para mim a de sempre é a de “quase nunca”!

Andei bastante à pé, cruzei a enorme avenida 9 de Julio (é tão grande que assusta) e caminhei pela Avenida de Mayo, onde está o tradicional Café Tortoni (mas não entrei porque estava em cima do horário da reunião) e vi também um “bar-loja de design” fantástico!!!! Entrei e tirei foto, não consegui me segurar. Tem hora que é tão bom ninguém conhecer a gente... Você está lá, apreciando a loja, como quem não quer nada, e de repente tira a câmera do bolso e ZÁAAA (como se alguma câmera fizesse esse barulho!).

Ah, e hoje fiz a estréia do metrô de Buenos Aires, é barato (1 peso e 10 centavos). Foi logo na hora do rush, mas ao menos a linha que peguei não estava cheia (em compensação, as escadarias da estação... Oh la la! LOTADAS)

Aqui as lojas ficam abertas até bem tarde... Mesmo estando no centro, não me senti tão insegura para andar à noite... Claro que não dá para marcar bobeira, mas ao menos tem mais gente na rua, é movimentado. Comprei um lindo par de botas e descobri que aqui a gente tem que pedir um número maior do que no Brasil. Por isso que a anterior que eu tinha experimentado ficou apertada, e eu achando que a forma era pequena kkkkk

Mais um restaurante com internet para constar na lista – um quarteirão do hotel, se chama Café Valerio – Comi 2 enpanadas, muy ricas. Na verdade não estavam tão maravilhosas assim, mas não sei como explicar tudo isso em espanhol, então tá valendo.

Ôba, não dormi enquanto escrevia, mas agora desmaiarei!

Amanhã conto mais. Besos y abrazos! Canadian Girls...

Segunda vez em Buenos Aires

Prédio da Galeria Pacífico.


Avenida 9 de julho, ultra-mega-blaster larga.


Na Rua Florida, a rua de pedestres em Buenos Aires.


Chocolateria e cafeteria Havana.


Lojinha de roupas infantis. Liiiinda!



A primeira foi quando perdi um vôo para a Nova Zelândia (na verdade, foi um overbooking da Aerolineas que me deixou pra trás) e acabei, por essas maluquices da vida, passando um dia na capital argentina (tudo bem corrido, mas vale, não vale?).
Pôxa, vida, isso foi no ano 2000! 10 ANOS ATRÁS!!!! Tô besta. Bege. Horrorizada mais uma vez com a rapidez que esse tempo bandido passa!

Agora estoy acá, dessa vez hablando español (um poco, claro) porque estoy estudiando esa lengua hermosa. Ponto para mim. Alguma coisa tinha que ser melhor dessa vez! Se não estou mais jovem, estou mais inteligente :), uêba!

Então vamos lá para pequeninas impressões do meu primeiro dia:

-O filme Invictus, que vi no avião, é lindo. Adorei e chorei, pra variar. Sorte ter pegado o vôo no Airbus 330, viva os entretenimentos a bordo!!!!

-Como nem tudo é perfeito, nunca vi um avião tão gelado como esse da TAM. 3 blusas e a manta distribuída pela comissária não foram suficientes e meu nariz virou picolé. Para a turma de plantão que sabe o quanto sou friorenta, já aviso que o nariz da minha companheira de lado de vôo também “picolezou”. E o ar de Buenos Aires quando saí da aeronave?Ainda bem que o frio não durou muito e o dia logo esquentou.

-Ponto para o motorista do táxi que peguei em Ezeiza. Simpático, apesar de caladinho. No meio do caminho ele perguntou se eu me importaria de parar 5 minutinhos e eu disse que não, meio no susto, mas depois morri de medo porque não tinha entendido patavina do motivo da parada. Graças a Deus era para abastecer. E com gás.

-De novo a experiência do vale abissal que existe entre um site da internet e um hotel de verdade. O hotel que estou nada mais é que... ruizinho. Bem localizado, mas sofridinho, tadinho. Pela internet era um chaaaarme... Mas vale para o que vim fazer, atende bem (se a gente fechar o olho hahahahahaha). Terceira vez que me dou mal nesse sentido. Quem mandou não consultar o trip advisor? Gente, santo de casa não faz milagre mesmo!!! Agente de viagens do pau oco!

-Nada como ser cara de pau e sair falando portunhol depois de 6 meses de aula. Tô adorando!!!! (A aula é de espanhol, ok??? Só o resultado que ainda não é).

-O povo aqui tem uma sensibilidade para design incrível. As roupas de criança são magníficas, dá vontade de passar horas em cada uma das lojas que vejo. Meu bolso está com um rombo irreparável. Impossível resistir.

-Depois de um longo e rigoroso período de abstinência, algo em torno de anos e anos e anos, tomei novamente uma bebida inesquecível para mim: chocolate branco quente! Esse, da chocolateria HAVANA (onde também encontramos o típico alfajor), ainda vem com cubinhos de chocolate por cima do leite vaporizado, e que aos poucos vão derretendo e virando tipo um creme quente de chocolate branco, meio Nutela ao inverso, que delícia meu DEUS (e isso porque estou LOUCA para emagrecer). Vou ter que deixar pra depois (o regime, não o chocolate).

-Uma cidade que tem muitos cafés já me conquista de cara.  E é legal o copinho pequenininho de vidro que eles servem junto, com água gasosa.

-Ôba, tinha saxofonista tocando na Calle Florida. Nada como um passeio ao som de saxofone.

-Ôba, mais um restaurante com acesso gratuito à internet do lado do hotel!

-Ôba, um copo de vinho para matar saudade de Paris. O QUÊ É ISSO? UM MOSQUITO NO MEU VINHO????

Caiu um mosquito no vinho, não tô brincando, não.

Parei de tomar, claro.

Só não parei de trabalhar.

Escreve, escreve, escreve, trabalha, trabalha, trabalha, e vamos dormir que ninguém é de ferro.

Até amanhã!!!! ZZZZZzzzzzzz