sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Orgulho dos meus intercambistas!


Tenho muita sorte.

Bato no peito e repito quantas vezes for necessário:
-Que orgulho dos meus intercambistas!

É deles que vem minha satisfação profissional, uma satisfação colhida a cada novo sorriso que descubro nas visitas ao Facebook.

Luiza, tá nevando!
Descobri um novo amor!
Terminei com a namorada!
Tirei A em tudo!
Tô com saudades de arroz com feijão!
Vou sentir saudades dos doces do Halloween!
Tô feliz demais!
Tô com saudades demais!
Tô triste demais!
Tô feliz de novo!
Tá -10 e eu tenho que ir pra escola!
Tô amando esse intercâmbio!
Quero voltar pra casa!
Quero ficar mais tempo!

Orgulho, orgulho, orgulho! São cinco ou dez meses, mas parecem uma vida.
Meninos que voltam homens, mocinhas que voltam mulheres.
Cinco ou dez meses, e muitos quilômetros de vida percorridos em uma estrada que se conquista sozinho, com um combustível danado de raro que se chama CORAGEM.

Hoje um de meus intercambistas, o Thiago, me chamou enquanto estava mexendo no meu computador aqui em casa. Mundo pequeno, esse. Enquanto conversava com alguns primos, cada um em sua casa (e em cidades diferentes), lá estava o Thiago me perguntando se eu já tinha visitado o seu blog.

Não tinha, mas corri pra ver. Corri e estacionei, li cada palavrinha com quase orgulho de mãe (a mãe dele que me dê licença...). Li e senti uma satisfação imensa ao perceber que um intercâmbio vale a pena quando se enxerga a essência da experiência.

Não é comparar por comparar.
Ou se deslumbrar com o alheio.
Ou bater no peito e dizer 'orgulho de ser brasileiro' que nem eu fiz logo acima com meu 'orgulho dos intercambistas'.

É muito mais do que isso.

É desenvolver o pensamento crítico de maneira construtiva.

É crescer, por dentro e por fora (e às vezes para os lados).

É voltar maior, com o pensamento maior, com uma força de vontade maior, com a capacidade de aprendizado maior.

Esse post de hoje vai em homenagem aos adolescentes corajosos que partiram para essa empreitada, e aos pais mais corajosos ainda (não poderia nunca me esquecer deles) que disseram "Vai, filho, o mundo te espera e eu estou aqui por você".

Se Thiago me permitir (nem pedi, mas acho que ele não vai ligar), vou dizer que vale a pena conferir seu blog www.thiagoquaresma.com

E com orgulho me despeço...

domingo, 14 de novembro de 2010

Paixão à segunda vista.





Não que eu não tenha me apaixonado à primeira vista...

Nosso primeiro encontro foi, sem qualquer sombra de dúvida, bastante forte, animado, delicioso! Visitar Santiago pela primeira vez, há dez anos, teve um toque de inédito por contar com a companhia de pessoas muito especiais para mim: Minha mãe, minha prima Juliana e minha amiga Margareth. Claro que nos divertimos muito, principalmente porque estávamos todas por conta do "à tôa". Nosso único compromisso era passear, e só. Quanto privilégio...

Mas ao contrário do que ocorre com a grande maioria das pessoas, minha paixão à segunda vista pela capital chilena conseguiu suplantar a primeira (e MUITO!). Santiago mudou bastante e é hoje uma cidade linda, acolhedora, limpa, consideravelmente segura, moderna e cosmopolita. Sem contar a excelente receptividade do povo chileno, sempre acolhedor e amigo.

Apesar de ter viajado a trabalho, tive a feliz oportunidade de "sentir" o clima da cidade ao rodar para cima e para baixo (de táxi, metrô, e também de carona com parceiros profissionais) pelas "comunas" (bairros) de Santiago, cada uma com sua característica própria... Abaixo, seguem algumas impressões que fui recolhendo pelo caminho, já que essas viagens são sempre um mosaico de informações colhidas na rua, nos escritórios, na internet, no hotel, e, principalmente, captadas por nossa anteninha de turistas, atentos a tudo e aos mínimos detalhes, procurando usufruir ao máximo o que essa cidade apaixonante tem para nos mostrar, seja na primeira, segunda, terceira, quarta visita...

1) É impressionante o quanto a cidade é arborizada, principalmente o bairro da Providência, onde me hospedei. Ao andar pelas ruas residenciais, vemos os muros repletos de trepadeiras, flores enfeitando as calçadas, árvores dos mais diversos tipos que se entrelassam formando verdadeiros túneis para a passagem dos carros e pedestres. Em uma cidade poluída como Santiago, essa presença do verde é um fator importantíssimo!

2) A cidade reúne as mais diversas tribos que parecem conviver em perfeita harmonia. Cabelos coloridos, casais gays, emos, adolescentes uniformizados (saindo da escola) e integrantes da terceira idade parecem conviver no mesmo espaço em ordem e harmonia.

3) Os parques públicos parecem feitos para abrigar não só as crianças, mas os casais apaixonados, que se deitam pela grama beijando-se por horas... E viva o amor!

4) Os cachorros de rua de Santiago são peludos. Ao contrário de nossos vira-latas, o que mais vi lá foram Huskies Siberianos vagando pelas avenidas. A maioria, porém, fica deitado sem sequer se mexer. Dá vontade de cutucar para ver se estão vivos. A primeira vez que vi um cachorrinho deitado desse jeito, realmente pensei que estivesse morto. Depois percebi que não era um só, eram vários. Ar rarefeito? Será essa a resposta????

5) Não encontrei casas, prédios ou muros pichados na cidade! Ai que inveja (inveja boa!!!!).

6) Muitos colégios (de Ensino Fundamental e Médio) tem nomes em inglês, mesmo que não sejam escolas americanas (nem mesmo bilíngues).

7) A cidade tem uma presença expressiva de redes de fast-food. Parece que o chileno anda comendo mal e muito rápido... É hora de voltar a prestar atenção no cardápio e no tempo dedicado para consumí-lo...

8)A Cordilheira é um cenário tão deslumbrante que é difícil não se sentir embasbacado pela vista de seus cumes nevados... Cada olhada é um suspiro. Ai... Muito linda, muito mesmo.

9) O metrô de Santiago tem 3 tarifas diferentes, de acordo com o horário de utilização do transporte, deixando mais barato os momentos mais tranquilos do dia. Muito legal a iniciativa.

10) As estações de metrô também contam com ventiladores que borrifam água para deixar o ar mais úmido, necessário para o bem-estar de seus passageiros.

11) Caminhar pelo Parque das Esculturas, às margens do Rio Mapocho, é um capítulo à parte.

12) O Patio Bellavista, no Barrio Bellavista, reúne bares e restaurantes muito charmosos, cujo público varia dos casais apaixonados (nada mais apropriado para Santiago) aos descolados. Aliás, é difícil achar um bar ou restaurante que não seja especial, seja pela beleza ou criatividade da decoração, seja pelo cardápio.

12) Avistar Santiago de cima do Cerro San Cristóban não é programa de turista. É um reforço de que a escolha foi acertada, e que abaixo está uma das cidades mais gostosas e agradáveis da América do Sul, onde os carros param na rua se algum pedestre resolve atravessá-la, e cujos moradores são incapazes de jogar um lixinho no chão...

13) Seus moradores podem escolher se decidem destinar parte de seu salário para pagar a rede de saúde pública ou se prefere investir em um plano privado... (Sim, um EXCLUI o outro!!!!!!)

14) Quando você compra uma mercadoria no Chile, sabe que está pagando 19% de imposto.
Isso é ser transparente...

E VIVA CHILE, VIVA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!