sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Viajar pra quê? Ou melhor, pra QUEM?


Sei que cada pessoa é de um jeito,
Que cada jeito acompanha uma vontade,
Que para cada vontade tem um destino,
Que pra cada destino tem...
Uma viagem.

Nos últimos tempos, contudo, um assunto vem incomodando minha mente com frequência:
No momento da escolha da rota a ser seguida, da definição do lugar a ser visitado,
o que é que anda valendo mais?
Será o desejo pessoal, ou a corrida pelo que é mais desejado (pelos outros)?

No momento de tirar as fotos, de onde anda partindo a inspiração? Da busca pela recordação, ou da necessidade de dizer aos outros "eu fui" através de imagens, de posts em blogs, de publicações nas redes sociais?

Compartilhar é bom e necessário. Mas é clara a diferença, por exemplo, entre os excelentes blogs que encontro pela rede e que tanto nos informam e divertem, e aqueles que tratam os leitores como uma espécie de espelho para alimentar o sentimento narcisista de quem os escreve.

O mundo é uma vitrine, cada vez mais. Os pacotes estão espalhados nas prateleiras, separados em categorias variadas, como preço, duração, nível de conforto... Cidade ou natureza? Diversão ou calmaria? Solteirice ou família? Compras ou retiro espiritual?

São muitas as variáveis!!!!! Seria bom, entretanto, que, independente do que move o viajante (busca do conhecimento, necessidade de consumo, tempo para si próprio ou para a família, resgate do romantismo) que essa vontade ou necessidade partisse dele próprio.

Afinal, viajamos para nós ou para os outros????

Algo a se pensar...

Um 2011 de SIGNIFICATIVAS descobertas para todos nós!

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Terceira vez em Buenos Aires






Terceira vez em Buenos Aires! Puxa, nem acredito!

Há pouco tempo, ainda neste ano, escrevi um post contando sobre minha segunda visita à capital Argentina, quando viajei a trabalho.

Óbvio que passear sem compromisso tem outro gosto. Dessa vez, o objetivo era tornar a viagem um programa agradável para minha filha de 8 anos. Afinal de contas, a primeira experiência internacional tem que ser especial, ainda mais para quem tem uma mãe cujo trabalho é espalhar jovens brasileiros pelo mundo!!!

Dá-lhe pesquisa prévia na internet... Achei um blog super interessante chamado “Buenos Aires para niños”. Aproveito para divulgar o endereço: buenosairesparaninos.blogspot.com

De leitura fácil e dinâmica, o blog traz dicas muito úteis para pais e mães ávidos por apresentar as melhores opções portenhas aos seus pimpolhos. Vi que conhecia, mas não conhecia Buenos Aires. Aliás, eu tenho essa impressão o tempo inteiro. Um exemplo? O blog Conexão Paris, que amo de paixão. Não importa o quanto você vá à cidade, se resolver dar uma lida no blog, vai descobrir um cantinho imperdível, uma loja magnífica, um programa fundamental que você NÃO FEZ, NÃO DESCOBRIU, NÃO FOTOGRAFOU enquanto estava lá!!!! Que ódio!!!! Rs rs rs...

Por outro lado, viagem é assim mesmo. Única. Customizada. Cada um tem a sua, com seu cheiro, seu tempo, seu valor. Não dá pra comparar. Comparar é fonte de tristeza, na maioria das vezes. A comparação tem que ser com o nosso objetivo: descansar, comprar, não fazer nada, treinar o idioma, achar um namorado, divertir a prole, enfim, cada um tem o seu (ou seus). Objetivos alcançados? Ótimo. Não alcançados? Mais um motivo pra voltar!

Adoro colecionar as impressões que tenho dos lugares quando passo por eles. Antes eu escrevia diários de viagens e anotava os detalhes dos mais detalhistas possíveis, do tipo “comi ovo quente, meio mole e meio duro” no café da manhã. Agora tiro fotos e coleciono impressões, coisas do tipo:

-Loja de criança (roupas, acessórios) na Argentina é TUDO DE BOM. Fabulosas e criativas! Exemplos? MIMO, Grisino, ZUPPA, Owoko...

-Tudo em Buenos Aires respira Design... Ao passear pelas ruas de Palermo e ficar espiando as lojinhas de presentes, decoração e papelarias, parece que nosso bolso grita COMPRAAAAA... A solução é entrar correndo em uma das sorveterias Freddo (www.freddo.com.ar) e literalmente esfriar a cabeça (em alto estilo, claro!). Delícia de sorvetes, delícia, delícia, delícia!

-Apesar de estar faltando cuidados e manutenção, o Zoológico de Palermo (www.zoobuenosaires.com.ar) é um programa imperdível, principalmente porque proporciona uma interação entre os animais e as crianças, que podem alimentá-los com uma comidinha própria vendida em quiosques espalhados pelo Zoo! Claro que Júlia amou e ficou louca... Não posso deixar de mencionar que carregar aquele saquinho de comida nas mãos me causou o MICO do ano! (Acho que Zoológico é um local perfeito pra pagar mico). Alguns patos, que ficam soltos, vieram correndo pra cima de mim e eu praticamente atropelei um!!! Enquanto caminhava pra me desvencilhar do coitado, a coisa piorava e virou uma confusão completa! Coitado do bicho!!!! Coitada de mim (Que vergoooonha). Ah, e no Zoo tem urso polar, pinguim e show de lobo marinho! Tudo inédito para a Júlia, que ficou extasiada!

-Como faz diferença uma cidade arborizada! Como é lindo passear a pé por uma capital que tem áreas verdes, parques, lindas árvores enfeitando as ruas... Tudo isso minimiza o aspecto de metrópole e traz um obrigatório frescor para passeios feitos em dias cuja temperatura acusava mais de 30 graus à sombra...

-Como faz diferença uma piscina no hotel, principalmente quando se está com crianças... Um pulo na água revigora qualquer programa que envolva caminhar 15 quarteirões à busca de uma lojinha (www.sopadeprincipe.com.br). Uma fábrica de “xepas”, como resumiu minha filha, que estava à busca desesperada de uma bonequinha de pano, meio monstrinha... Curiosos? É só dar uma olhadinha no site acima pra ver do que estou falando. Ah, e palmas para o Hotel Madero (www.hotelmadero.com), excelente opção de hospedagem em Buenos Aires, com funcionários solícitos, mimos diários, e uma gerente de marketing que lê a pesquisa de satisfação que você deixa preenchida e responde item por item!

-Absorver cultura faz bem para os poros, para a mente e para o coração. Nossa visita envolveu um pulinho no EL MUSEO PARTICIPATIVO DE CIENCIAS, que fica dentro do Centro Cultural Recoleta (www.mpc.org.ar). Muito, muito legal!

No próximo post tem mais.... Beijos!