terça-feira, 18 de novembro de 2014

Estudar no exterior e se hospedar em casa de família. Coisa de adolescente?


Não se você for um adolescente com alma de velho.

   A verdade é que já se foi o tempo em que fazer intercâmbio era coisa de adolescente. Estudar no exterior não tem idade limite, mas exige um certo estado de espírito que possibilite o sucesso da empreitada. 

   Primeiro pré-requisito: FLEXIBILIDADE. Essa é a palavra-chave, ou talvez mágica, que vai fazer abrir o "portal" da experiência de intercâmbio. Você pode viajar sem mala, sem companhia, sem estar afiado no idioma estrangeiro, mas sem flexibilidade... Desculpe-me, vai ser barrado de cara. Quem viaja precisa entender o que é imprevisto. Ou quebra de paradigmas. Ou experimentar coisas novas... Dar de cara com um  jeito diferente de fazer as coisas... Deu pra perceber que quem deseja as coisas "do seu jeito" vai ter muita dificuldade...

   Quem viaja, principalmente para fazer intercâmbio, precisa saber de verdade o significado de tolerância, paciência, bom-humor, respeito, humildade. Não pode ser engessado, tem que ser maleável. Tem que saber dividir banheiro, arrumar suas próprias coisas, entender que o seu jeito não é o "melhor", e sim "diferente". Tem que jogar a arrogância pra debaixo do tapete, tirar a idéia de que é o centro do mundo, despregar os olhos do umbigo e olhar ao redor, perceber o OUTRO.

   Se você é assim, um jovem adulto, adulto amadurecido, ou até mesmo um velhinho descolado, vá em frente. Aventure-se e jogue-se na experiência de viver com uma família anfitriã no seu país de destino. Se você se acha flexível, mas nem tanto assim, existem outras formas de hospedagem. São tantas que uma delas certamente vai ser um pouquinho mais sua cara ou caber mais no seu bolso.

   Se a flexibilidade ainda não é muita, mas a disposição para aumentá-la certamente é, parabéns. Você não tem somente alma de adolescente. Tem alma de intercambista. Sucesso e boa viagem! =)