segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Final de semana no sítio é igual a...


Sorriso espontâneo.
Não tenho como dar outra resposta ao analisar as fotos que acabo de baixar em meu computador.
A receita não é tão difícil assim.
Não há luxo, não há monitores, não há ar-condicionado, ao contrário... Há cheiro de terra molhada, piscina com chuva, fumaça de fogueira, churrasco disputado a tapas, caçamba cheia de meninos, picada de mosquito, vagalume dançando à noite.
As melhores lembranças que carrego da minha infância são simples. Enxergo meu pai descascando cana, minha mãe fazendo almoço na casa de praia da minha avó, onde gritávamos a cada vez que enxergávamos uma mini rã passeando no banheiro... Minhas memórias mais doces vem com os picolés vendidos na praia, e que minha mãe dizia ser feitos de água suja, ou dos passeios para catar conchas.
Nesse final de semana minha filha teve de presente a vivência do que importa nessa vida: amizade vinda em forma de sorriso, não aquele que usamos para posar para as fotos, mas aquele que vem de dentro, e que por ironia da vida compõem as fotografias mais lindas da nossa história...

Um comentário:

  1. Muita fruta no pé, meninos defumados, lenha, assuntos inacabados, lasanha perdida (quem se importa?), barro, carrapichos, mais lenha, caminhada, chuvarada, lá vem lenha, lenda. Sapo que não virou príncipe, lotação, besouro sem noção, violão. Hummm, tudo muito 'bão'!

    ResponderExcluir