segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Primeiro vídeo da escola NESE (The New England School of English) - Boston/Cambridge - USA

Esse é o primeiro vídeo da NESE (The New England School of English). Aqui, é possível encontrar vários argumentos que mostram como a cidade de Cambridge (onde está a Harvard e o M.I.T) é o local perfeito nos EUA para estudar inglês! Confira!

Sou representante da escola NESE aqui no Brasil, e posso ajudar aos alunos interessados indicando nossas agências de intercâmbio parceiras em todo o país, além de auxiliá-los com as dúvidas que possam surgir sobre a escola e as cidades de Cambridge e Boston.

Espero que curtam o vídeo!
A NESE reúne inúmeras premiações, entre eles o fato de estar frequentemente mencionada como uma das cinco melhores escolas para se aprender inglês no exterior =)

domingo, 13 de dezembro de 2015

Ainda sobre o novo prédio da International House Dublin - IH Dublin

https://picasaweb.google.com/110620197037432938385/IHDublin

Esse é o link com as fotos da IH Dublin atualizadas depois que tive o privilégio de poder conferir pessoalmente o novíssimo prédio da International House de Dublin.

Para quem não sabe, a International House é uma organização mundial que conta com mais de 150 escolas de idiomas em diversos países. No meu caso, represento a IH Dublin (Irlanda) aqui na América Latina, auxiliando os nossos parceiros (agências de intercâmbio) e, indiretamente, aos nosso clientes. Estou à disposição, sempre, para solucionar as dúvidas, oferecer dicas de Dublin e promover essa "ponte" de contato entre o Brasil e a escola.

Voltei de Dublin ainda mais apaixonada pela cidade e pela IH Dublin, que  conseguiu reunir a excelência acadêmica à modernidade e praticidade de sua estrutura física, o que torna a escola uma referência de qualidade na Irlanda.

sábado, 24 de outubro de 2015

Fotos do novíssimo prédio da IH Dublin (International House Dublin)

Tenho orgulho de trabalhar para a IH. A escola que já era muuuuito boa, agora ficou excelente. O novo prédio no centro de Dublin foi construído exclusivamente para a IH Dublin e o Independent College, faculdade pertencente ao mesmo grupo educacional.

Agora quem optar por estudar inglês na IH Dublin vai desfrutar de maravilhosa infraestrutura física, além da já conhecida qualidade educacional proporcionada pela IH.

Vejam as fotos! Dia 4 de Dezembro será a inauguração oficial do prédio, e terei a oportunidade de conferir de perto essa novidade. =)





sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Agosto é mês de embarque. E viva os intercambistas de High School!

Embarque pra vida nova, coração na mão. Documento, autorização, passaporte... Saudade, aflição, curiosidade...

É uma salada de emoções, confusão mental, frio na barriga, alívio, medo, realização.

Só um intercambista consegue colocar tudo isso na mochila e fazer de toda essa bagagem um bocado lindo de histórias... É tanto aprendizado, mudança de planos profissionais, descobertas amorosas, crescimento (por dentro,por fora, e às vezes para os lados, hehehe...)

Agosto é meu aniversário, é mês de embarque de alunos de High School.

Confesso que, daqui desse lado, sinto também um mix de emoção: cansaço do trabalho, mas orgulho de vocês, adolescentes corajosos e especiais.

Hoje esse post eu dedico a vocês, desbravadores desse mundão, embaixadores do Brasil.

Em homenagem, posto uma foto de minha primeira experiência internacional.

Um dia desses vocês vão descobrir que temos muito em comum...
Um dia desses, quando vocês voltarem =)

Beijos da Luiza lá de trás, também adolescente, e da Luiza de hoje, que por enquanto fica aqui, só assistindo a esse festival de descobertas e torcendo muito, muito, muito por vocês!

E que sejam felizes!!!!

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Novíssimo prédio da IH Dublin - Inauguração: 14 de setembro de 2015!

Confiram: A International House de Dublin (IH Dublin) está se mudando para um prédio próprio de 5 andares, moderno e impressionante, com 40 salas de aula, restaurante na cobertura, terraço ao ar livre e outros ítens que tornarão ainda mais inesquecível a experiência de estudar por ali!

Para maiores informações sobre a IH Dublin, é só entrar em contato! Posso também auxiliá-los com a lista de agências de intercâmbio parceiras que estão aptas a organizar todo o processo operacional de sua viagem rumo a Irlanda! =)

www.ihdublin.com

Blog do livrinho

Livro abre portas, expande mentes, aproxima pessoas. Fiquei feliz e emocionada ao ler o post sobre meu livro infantil "Se eu Fosse" no Blog do Livrinho, produzido pela Anna, de Belém do Pará.

Se eu fosse vocês, daria uma olhadinha no Blog dela, pois tem dicas incríveis de livros infantis!

http://www.blogdolivrinho.com/#!se-eu-fosse-um-post/c1gd8/55acf3270cf24f011b62790a

sábado, 16 de maio de 2015

Consultor de intercâmbio cultural = cupido?


Certo dia, vi uma reportagem de pessoas que se pareciam com seus cachorros. As fotos eram hilárias: às vezes, era o corte de cabelo que lembrava o estilo do pelo do pet. Alguns donos bochechudos faziam pares com seus cachorrinhos da raça buldogue, e outros, carrancudos, combinavam com seus cães ferozes.

Na minha caminhada profissional pela área do intercâmbio, aprendi a olhar através das pessoas para descobrir o destino que seria “a sua cara”. Confesso que, vez por outra, essa percepção é imediata e óbvia, do tipo: Meu Deus, essa garota é a Nova Zelândia em forma de gente! Outras vezes, o trabalho é mais árduo, e são necessárias conversas e mais conversas para que eu consiga arrancar daquele cliente mais tímido algo que me dê um “click”: uma frase, um gesto, uma atitude, uma pequena observação. É preciso, nesse caso, saber ler nas entrelinhas.

Essa busca me deixa alegre, é como se eu fosse um cupido geográfico, buscando o lugar da vida daquele(a) estudante. Fico me imaginando passando a receita de viagem, quem sabe alguma coisa assim:

-Suas sardas me levam à Irlanda, seu sorriso me faz pensar no sol da Flórida, seu olhar enigmático me faz buscar um destino exótico, sua agitação me faz oferecer uma grande metrópole...

Brincadeiras à parte, escolher um destino é tarefa cerebral, mas também emocional. Vale a pesquisa, as conversas, o estudo, mas sem deixar de lado algo vital: a intuição.

Um bom consultor de intercâmbio deve ser aquele que ajuda seu cliente a encontrar o ponto no mapa, o centro do alvo, o tiro certeiro de sua jornada. Diversas variáveis estão em jogo: tempo disponível, clima de preferência, volume de investimento possível, documentação necessária... Mas de nada vale se o passageiro não relatar aquela sensação de borboleta no estômago, que nem paixão de adolescente.


A descoberta do novo mexe com as pessoas, a experiência de intercâmbio muda aqueles que aceitam o desafio. Sou grata por fazer parte dessa busca! 

quinta-feira, 26 de março de 2015

Experiências internacionais que começam cedo!



Hoje em dia, pré-adolescentes de diversas partes do mundo estão vivenciando sua primeira experiência internacional cada vez mais cedo.

Escolas de idiomas para estrangeiros oferecem programas normalmente denominados "camps", que unem aulas do idioma local a atividades variadas, sejam voltadas ao esporte, lazer, cultura, turismo...

Os "camps" são oferecidos nos períodos das férias escolares. A grande maioria ocorre no período do verão. No caso do Hemisfério Norte, esse período coincide com as nossas férias de julho aqui no Brasil. A período da viagem pode variar de 2 a 8 semanas, dependendo da disponibilidade financeira, de tempo, e desejo do aluno.

Um exemplo de "Summer Camp" está no vídeo anexo. Trata-se da experiência organizada pela escola INTERNATIONAL HOUSE em Dublin, Irlanda. Todos os anos, nos meses de julho e agosto, a IH Dublin organiza "Summer Camps" nas cidades de Dublin e Cork. Os alunos de 11 a 17 anos tem a chance de aprender inglês, fazer amigos de inúmeras nacionalidades, divertirem-se e, de quebra, escolher a opção de acomodação que mais lhes atrai: famílias hospedeiras ou residências estudantis.

Os "camps" destinados a pré-adolescentes e adolescentes tem como principal preocupação a segurança. Há um grande número de professores e monitores contratados para garantir que o programa transcorra da melhor maneira possível, desde a chegada ao aeroporto até o triste momento de se despedir daquele que foi, sem dúvida, o melhor intercâmbio de suas vidas...

domingo, 15 de março de 2015

Por que fazer High School no Canadá?




Nos meus vinte anos de estrada na área de “High School”, acompanhei o crescimento da demanda por esse gigante país da América do Norte, que inicialmente, confesso, era um quase desconhecido para mim, mas que foi se tornando, aos poucos, mais íntimo e amigo.

Hoje compartilho com vocês alguns dados interessantes sobre este destino, vindos da reunião da qual participei, organizada pela CAPS-I aqui em Belo Horizonte. A CAPS-I é uma Associação Canadense sem fins lucrativos, fundada em 2008, e que representa 111 Distritos Escolares (públicos) deste país. Seu objetivo é organizar os programas voltados aos estudantes internacionais e estabelecer padrões de qualidade para os mesmos, o que sem dúvida é benéfico aos adolescentes que pensam cursar parte de seu ensino médio no Canadá.

Por mais curioso que isso possa parecer, o Canadá possui algumas escolas públicas católicas. Nós, brasileiros, estamos muito habituados com nossas escolas católicas particulares, mas um cenário em que se encontram escolas públicas e católicas é bem diferente para nós. No Canadá, elas estão nas Províncias (Estados) de Alberta, Saskatchewan e Ontario, e é possível estudar em uma delas, caso seja de interesse do estudante brasileiro e sua família.

Há também Distritos Escolares que proporcionam uma experiência bilíngue (inglês e francês) durante o intercâmbio no Canadá. Esses programas são oferecidos nas Províncias de Ontario, Quebec e New Brunswick

Alunos interessados na área de artes encontrarão escolas excelentes que oferecem teatro, dança, artes visuais e música.

Estudantes envolvidos com esportes terão oportunidade de praticar diferentes modalidades como hockey, esqui, esportes náuticos, além, claro, do futebol, basquete, vôlei e natação, por exemplo. Há escolas especialmente fortes em determinados esportes e um bom consultor na área de intercâmbio saberá identificar a melhor opção para cada tipo de adolescente. Para quem gosta de malhar, praticamente todas as escolas tem sua própria academia.

Para os fãs de ciências, é possível encontrar escolas que oferecem programas interessantíssimos na área de oceanografia, por exemplo, ou pré-engenharia. Há escolas que possuem oficinas mecânicas em suas instalações. Algumas são especialmente reconhecidas pelo alto padrão tecnológico, e todos os alunos, sem exceção, utilizam laptops em sala de aula, e os quadros são obviamente interativos.

Há uma infinidade de matérias que poderão ser escolhidas pelo estudante internacional de acordo com suas habilidades, interesse e disponibilidade. Entre elas, podemos mencionar: culinária, robótica, aviação, moda, cosmetologia, mídia digital, web-design, empreendedorismo, marketing, finanças, direito, turismo, animação computadorizada, marcenaria, trabalhos em metal, atividades ao ar-livre (outdoor activities), empreendedorismo, e por aí vai...

Alguns dados e estatísticas interessantes que surgiram na reunião e que agora compartilho com vocês:

- Algumas escolas públicas canadenses começaram a receber estudantes internacionais em programas “High School” há mais de 30 anos, portanto tem experiência e tradição.

- Hoje em dia, mais de 500 escolas públicas canadenses recebem estudantes internacionais.

- As escolas públicas canadenses são as escolhidas por 95% dos pais deste país. Ou seja, apenas 5% dos pais opta por escolas particulares.

- Professores de escolas públicas são certificados pelo governo, muitos têm mestrado e alguns, doutorado. Os salários são altos e a posição é de prestígio. Para ser um professor é necessária uma preparação de no mínimo 6 anos após o término do Ensino Médio. Ser professor significa estar entre os melhores. Nada mais lógico se pensarmos que são eles os responsáveis pela educação dos membros da nação.

- As salas de aula têm um número máximo controlado de alunos. O ambiente encoraja o pensamento crítico. A aprendizagem é colaborativa, e o currículo de cada matéria é construído de forma a atender as necessidades individuais do aluno.

- Os alunos internacionais são integrados ao ambiente escolar, juntamente com os alunos canadenses.

- As escolas possuem coordenadores dedicados aos estudantes internacionais.

- Alguns dados interessantes em relação ao PISA de 2012 (Programa Internacional de Avaliação de Alunos) – Dados de 2012: 

o   No quesito “Leitura”, o Canadá ocupou o 7º lugar, na frente da Nova Zelândia e Austrália que empataram em 9º, do Reino Unido que ficou em 16º e dos Estados Unidos que ficou em 17º. O Brasil ocupou neste ano a 55ª posição em um total de 65 países avaliados.
o   No quesito “Ciências”, o Canadá ocupou o 10º lugar. Austrália e Nova Zelândia ocuparam, respectivamente, a 14ª e 16ª posição. O Reino Unido ficou em 17º e os Estados Unidos, 22º. Já o Brasil ocupou a 59ª posição.
o   Na área de “Matemática”, o Canadá apareceu em 13º, a Austrália em 18º, a Nova Zelândia em 20º, o Reino Unido em 23º, os Estados Unidos em 32º e o Brasil em 58º.

Para fechar com chave de ouro esse pequeno artigo, nada melhor que ouvir de duas brasileirinhas um depoimento sobre a experiência no Canadá. 


E para se inscrever, não deixe de procurar agências bem avaliadas no mercado, e profissionais preparados para prestar o suporte necessário, desde a escolha da escola até a volta no Brasil.

Have a wonderful Canadian experience!

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Que eu tô voltando pra casa... (Welcome, intercambistas!)



Nessa época do ano, meu Facebook fica invadido de relatos de intercambistas saudosos de suas casas. São lamentos que leio diariamente e que me fazem pensar na vida, e em todas as surpresas que uma experiência internacional nos traz.

Se você, leitor, imagina que esses jovens estão sentindo falta de seus familiares do Brasil, está enganado. Isso foi há um semestre. Há uma vida. Sim, naquela época eles choraram a dor da falta de suas raízes, do cheiro do travesseiro, da comida caseira, da boa e velha conhecida escola, dos bons e velhos conhecidos amigos, do de sempre, do usual, do habitual, do seguro.

Mas como eu disse, isso foi há uma vida, parece. Porque hoje esses jovens não são mais aqueles que conheci. E não estou falando do cabelo que cresceu, dos quilos incorporados, da altura, ou mesmo da fluência em uma segunda língua. Estou falando de uma segunda casa. De um segundo país. Do fato desses adolescentes, hoje, serem frutos de dois mundos.

Ser um filho de duas nações é enriquecedor, e ao mesmo tempo, difícil. Significa identificar-se, muitas vezes, com algo que não está presente fisicamente, seja o aroma de um doce, a sensação do frio, uma palavra que não se traduz, uma pessoa especial. Ser intercambista pode significar abrir mãos de irmãos mais novos e voltar a ser filho único, ou mesmo deixar pra trás um amor significativo, um professor adorado, uma melhor amiga recém-descoberta. 

Nesses 20 anos de estrada já presenciei muitas histórias. Alunos que começaram a namorar alguém no intercâmbio e namoram até hoje a distância (anos e anos), encontrando-se esporadicamente; estudantes que se apaixonaram pelo estilo de vida do país que escolheram para o intercâmbio e voltaram para fazer faculdade; jovens que adquiriram o hábito de serem cidadãos do mundo e se tornaram intercambistas permanentes, participando de cursos aqui e ali, em constante movimento pelo mundo; intercambistas que, quem diria, saíram do Brasil na vida adulta para se casar com a alma gêmea encontrada no High School; e adolescentes que voltam para casa, e que independente de continuarem no Brasil, passam a ser pessoas múltiplas e divididas, esperançosas e saudosas, críticas, inteligentes, e com muita sede de viver.

20 anos é muito tempo, principalmente com as rápidas transformações que experimentamos na atualidade. Mas independente de nossa evolução, aposto que ainda presenciarei muito choro de saudade inversa nessa volta do intercâmbio. Tem sofrimento que é gostoso, e esse é um deles. Mostra que a vida agora é em dobro.

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Se viagem inspira, por que tanto a expiramos?



Somos mestres em jogar nossas experiências para fora, seja no Face, Instagram, Whatsapp.

Publicamos fotos que muitas vezes debocham dos ex-amigos, provocam inveja, esfregam na cara das pessoas que "estamos de férias", "aproveitamos a vida", "somos mais, temos mais, sentimos mais, viajamos mais".

Gastamos mais tempo editando as fotos que observando a imagem que está à nossa frente.

Eu sei, nem todo mundo é assim. Redes sociais existem para compartilhar também as coisas boas. Aprendemos com as descobertas dos amigos, as dicas valiosas, e muitas vezes viajamos junto só de observar aquelas cenas postadas. Mas dá pra sentir com aquela sintonia fina que todos temos em algum lugarzinho de nós, qual é a diferença entre compartilhar e esnobar, entre crescer e depreciar, entre colaborar e denegrir. A gente sente, sabe, e curte quem usa a inteligência e delicadeza nas redes.

Em minha última viagem, fui a um restaurante localizado em uma das áreas mais lindas que pude conhecer. Logo na entrada, uma placa avisava aos visitantes: Não temos wi-fi, temos vista. Meu Deus, e que vista! Tão linda que ainda fecho os olhos e tento imaginá-la novamente nos momentos de estresse. Como seria bom estar ali de novo...

Coincidentemente, dias depois, um outro restaurante escolheu novamente uma placa para receber seus clientes. Essa já dizia: Não temos wi-fi, conversem entre si.

Que tal trocar experiências em um encontro com os amigos ao voltar de viagem? Mas que seja um diálogo de verdade, uma troca, um momento de dar e receber. Ofereça dicas, pense no outro, pergunte sobre as experiências de quem está ali com você, e que certamente possui algo para enriquecer ainda mais o bate-papo. Por favor, não vá pelo caminho do "eu isso", "eu aquilo". Olhar para o próprio umbigo está fora de moda. Se quer compartilhar, faça-o, mas honrando o verdadeiro sentido da palavra. E viaje cada vez mais, pois terei prazer em segui-las, seja lá onde for!