quinta-feira, 26 de março de 2015

Experiências internacionais que começam cedo!



Hoje em dia, pré-adolescentes de diversas partes do mundo estão vivenciando sua primeira experiência internacional cada vez mais cedo.

Escolas de idiomas para estrangeiros oferecem programas normalmente denominados "camps", que unem aulas do idioma local a atividades variadas, sejam voltadas ao esporte, lazer, cultura, turismo...

Os "camps" são oferecidos nos períodos das férias escolares. A grande maioria ocorre no período do verão. No caso do Hemisfério Norte, esse período coincide com as nossas férias de julho aqui no Brasil. A período da viagem pode variar de 2 a 8 semanas, dependendo da disponibilidade financeira, de tempo, e desejo do aluno.

Um exemplo de "Summer Camp" está no vídeo anexo. Trata-se da experiência organizada pela escola INTERNATIONAL HOUSE em Dublin, Irlanda. Todos os anos, nos meses de julho e agosto, a IH Dublin organiza "Summer Camps" nas cidades de Dublin e Cork. Os alunos de 11 a 17 anos tem a chance de aprender inglês, fazer amigos de inúmeras nacionalidades, divertirem-se e, de quebra, escolher a opção de acomodação que mais lhes atrai: famílias hospedeiras ou residências estudantis.

Os "camps" destinados a pré-adolescentes e adolescentes tem como principal preocupação a segurança. Há um grande número de professores e monitores contratados para garantir que o programa transcorra da melhor maneira possível, desde a chegada ao aeroporto até o triste momento de se despedir daquele que foi, sem dúvida, o melhor intercâmbio de suas vidas...

domingo, 15 de março de 2015

Por que fazer High School no Canadá?




Nos meus vinte anos de estrada na área de “High School”, acompanhei o crescimento da demanda por esse gigante país da América do Norte, que inicialmente, confesso, era um quase desconhecido para mim, mas que foi se tornando, aos poucos, mais íntimo e amigo.

Hoje compartilho com vocês alguns dados interessantes sobre este destino, vindos da reunião da qual participei, organizada pela CAPS-I aqui em Belo Horizonte. A CAPS-I é uma Associação Canadense sem fins lucrativos, fundada em 2008, e que representa 111 Distritos Escolares (públicos) deste país. Seu objetivo é organizar os programas voltados aos estudantes internacionais e estabelecer padrões de qualidade para os mesmos, o que sem dúvida é benéfico aos adolescentes que pensam cursar parte de seu ensino médio no Canadá.

Por mais curioso que isso possa parecer, o Canadá possui algumas escolas públicas católicas. Nós, brasileiros, estamos muito habituados com nossas escolas católicas particulares, mas um cenário em que se encontram escolas públicas e católicas é bem diferente para nós. No Canadá, elas estão nas Províncias (Estados) de Alberta, Saskatchewan e Ontario, e é possível estudar em uma delas, caso seja de interesse do estudante brasileiro e sua família.

Há também Distritos Escolares que proporcionam uma experiência bilíngue (inglês e francês) durante o intercâmbio no Canadá. Esses programas são oferecidos nas Províncias de Ontario, Quebec e New Brunswick

Alunos interessados na área de artes encontrarão escolas excelentes que oferecem teatro, dança, artes visuais e música.

Estudantes envolvidos com esportes terão oportunidade de praticar diferentes modalidades como hockey, esqui, esportes náuticos, além, claro, do futebol, basquete, vôlei e natação, por exemplo. Há escolas especialmente fortes em determinados esportes e um bom consultor na área de intercâmbio saberá identificar a melhor opção para cada tipo de adolescente. Para quem gosta de malhar, praticamente todas as escolas tem sua própria academia.

Para os fãs de ciências, é possível encontrar escolas que oferecem programas interessantíssimos na área de oceanografia, por exemplo, ou pré-engenharia. Há escolas que possuem oficinas mecânicas em suas instalações. Algumas são especialmente reconhecidas pelo alto padrão tecnológico, e todos os alunos, sem exceção, utilizam laptops em sala de aula, e os quadros são obviamente interativos.

Há uma infinidade de matérias que poderão ser escolhidas pelo estudante internacional de acordo com suas habilidades, interesse e disponibilidade. Entre elas, podemos mencionar: culinária, robótica, aviação, moda, cosmetologia, mídia digital, web-design, empreendedorismo, marketing, finanças, direito, turismo, animação computadorizada, marcenaria, trabalhos em metal, atividades ao ar-livre (outdoor activities), empreendedorismo, e por aí vai...

Alguns dados e estatísticas interessantes que surgiram na reunião e que agora compartilho com vocês:

- Algumas escolas públicas canadenses começaram a receber estudantes internacionais em programas “High School” há mais de 30 anos, portanto tem experiência e tradição.

- Hoje em dia, mais de 500 escolas públicas canadenses recebem estudantes internacionais.

- As escolas públicas canadenses são as escolhidas por 95% dos pais deste país. Ou seja, apenas 5% dos pais opta por escolas particulares.

- Professores de escolas públicas são certificados pelo governo, muitos têm mestrado e alguns, doutorado. Os salários são altos e a posição é de prestígio. Para ser um professor é necessária uma preparação de no mínimo 6 anos após o término do Ensino Médio. Ser professor significa estar entre os melhores. Nada mais lógico se pensarmos que são eles os responsáveis pela educação dos membros da nação.

- As salas de aula têm um número máximo controlado de alunos. O ambiente encoraja o pensamento crítico. A aprendizagem é colaborativa, e o currículo de cada matéria é construído de forma a atender as necessidades individuais do aluno.

- Os alunos internacionais são integrados ao ambiente escolar, juntamente com os alunos canadenses.

- As escolas possuem coordenadores dedicados aos estudantes internacionais.

- Alguns dados interessantes em relação ao PISA de 2012 (Programa Internacional de Avaliação de Alunos) – Dados de 2012: 

o   No quesito “Leitura”, o Canadá ocupou o 7º lugar, na frente da Nova Zelândia e Austrália que empataram em 9º, do Reino Unido que ficou em 16º e dos Estados Unidos que ficou em 17º. O Brasil ocupou neste ano a 55ª posição em um total de 65 países avaliados.
o   No quesito “Ciências”, o Canadá ocupou o 10º lugar. Austrália e Nova Zelândia ocuparam, respectivamente, a 14ª e 16ª posição. O Reino Unido ficou em 17º e os Estados Unidos, 22º. Já o Brasil ocupou a 59ª posição.
o   Na área de “Matemática”, o Canadá apareceu em 13º, a Austrália em 18º, a Nova Zelândia em 20º, o Reino Unido em 23º, os Estados Unidos em 32º e o Brasil em 58º.

Para fechar com chave de ouro esse pequeno artigo, nada melhor que ouvir de duas brasileirinhas um depoimento sobre a experiência no Canadá. 


E para se inscrever, não deixe de procurar agências bem avaliadas no mercado, e profissionais preparados para prestar o suporte necessário, desde a escolha da escola até a volta no Brasil.

Have a wonderful Canadian experience!